sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Expo Andy Wharol em São Paulo

.
Pela primeira vez no Brasil, a exposição "Andy Warhol, Mr. America", com 168 peças entre pinturas, fotografias, serigrafias e filmes do ícone do pop art norte-americano Andy Warhol, que morreu no final da década de 80.
.
.
A POP ART
.
Como movimento artistico, a pop art começou a tomar forma no final da década de 50, quando alguns artistas começaram a transformar símbolos e produtos do mundo da propaganda em temas de suas obras.
.
Altamente figurativa, oposta ao expressionismo abstrato dominante no mundo desde o final da segunda guerra, utilizando os componentes mais ostensivos da cultura popular, de grande influência na vida cotidiana da época. A iconografia principal era a da TV, da fotografia, dos cartoons, do cinema e da publicidade.
.
.
Fazia uma irônica crítica ao bombardeio da sociedade pelos objetos de consumo, usando como materiais principais a tinta acrílica, poliester e látex, com cores intensas, brilhantes e vibrantes. Esses mesmos objetos eram reproduzidos em tamanho consideravelmente grande, transformando o real em hiper-real.
.
Andy Warhol (1927-1987) foi a figura mais conhecida e mais controvertida do pop art, devido a sua concepção da produção mecânica da imagem substituindo o trabalho manual: seus temas eram reproduzidos serialmente com variações de cores.
.
Warhol representava as personalidades públicas, como Marylin Monroe e Elvis Presley, como figuras impessoais e vazias, num paradoxo da ascensão social, da fama e da celebridade.
.
.
Usando a técnica da serigrafia destacou a impessoalidade do objeto produzido em massa para o consumo, como a Coca-Cola e as latas de Sopa Campbell
.

.
Se a pop art produzia a crítica, ela também necessitava desses objetos de consumo em que se inspirava. Muitas vezes produzia o próprio aumento do consumo desses objetos, como aconteceu com as Sopas Campbell, de Andy Wahrol.
.
A pop art marcou época, principalmente pelo fato de aproximar a arte das massas, já que se utilizava de objetos próprios delas, além de transformar o que era vulgar em refinado, já que tanto o gosto como a arte tem um valor relativo conforme o contexto histórico.
.
.
A partir de março desse ano, a capital paulista será palco dessa exposição imperdível que estará a disposição do público na Estação Pinacoteca de São Paulo. A maioria das 168 peças datam dos anos 60.
.
.
A estréia ainda não tem data marcada, mas a abertura do evento está sendo esperada para a segunda quinzena de março.
.
Maiores informações na Pinacoteca de São Paulo:
Largo General Osório, 66 - Luz - São Paulo - SP. Telefone: (11) 3335-4990.
Os ingressos custarão R$ 6,00 durante os dias de semana e serão gratuitos aos sábados.
.
IMPERDÍVEL!!!

.

3 comentários:

pontorouge disse...

De fato, é imperdível. Será que existe previsão de vinda para o Rio? Tomara.

beijo rouge

Dani

Eduardo P.L disse...

É verdade!!! IMPERDÍVEL!

Parabéns pelo post!

Bom fim de semana!

DILERMArtins disse...

Mas bah, guria.
Imperdível, pena que esteja tão longe, essa é uma desvantagem da qualidade de vida de quem mora no interior.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...