quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

O Arroz de Palma

.
Quarta-feira de cinzas, de volta à vida normal, à casa, bagagem ainda por arrumar...
.
Saudades do blog, dos amigos (logo, logo vou visitar todos!)
.
... e de volta ao trabalho!
.
Não reclamo, pois passei o meu carnaval assim, ó:
.
E vocês sabem, a rede é um convite à leitura, não é mesmo?
.
Aproveitei para colocar em dia minha participação no projeto da Paulinha do Blog "Canetas Coloridas" ...
.
.
... e literalmente devorei o meu livro de fevereiro:
.
.
O ARROZ DE PALMA
Autor: Francisco Azevedo
Editora: Record
Ano: 2008
1ª Edição
Número de Páginas: 364
.
Este livro é um primor, a começar pela capa: o arroz dentro de uma forma de alumínio em forma de coração... e não faltam ainda as rendinhas das prateleiras antigas, na borda. Só por aí você já consegue ter a idéia do encantamento que lhe espera por dentro de suas páginas.
.
O livro conta a saga de 100 anos de uma família portuguesa que migrou para o Brasil. A história é toda narrada pelo personagem principal, Antônio, o primogênito dos 4 filhos de José Custódio e Maria Romana. Tudo que ele narra no livro são as lembranças que lhe vêm à mente e ao coração quando, aos 88 anos, se encontra na cozinha de sua casa preparando um grande almoço de família em comemoração não só pelos seus 88 anos, mas também pelo aniversário de 100 anos do casamento de seus pais, já falecidos.
.
Já nas primeiras páginas você já consegue sentir o gostinho desse "arroz":
.
"Velho é criança de fôlego diferente. Já não lhe interessam as correrias nos jardins, o sobe e desce das gangorras, vaivém dos balanços. É tudo muito pouco. O que ele quer agora é desembestar no céu, soltar os bichos que colecionou a vida inteira. Os bichos todos - domésticos, selvagens, úteis e nocivos. Os pesados répteis que ainda guarda no coração e as borboletas, peixes e passarinhos, tudo solto lá em cima!"
(pag. 10)
.
Antonio é um personagem apaixonante: cozinheiro de profissão, tem a imaginação fértil e vive divagando em suas memórias e devaneios. A história toda gira em torno de um "arroz". No dia do casamento de seus pais, uma chuva torrencial de arroz cai em cima deles, e a Tia Palma, irmã de José Cutódio, recolhe do chão todo o arroz e dá de presente aos recém-casados: 12 quilos de arroz!
"Este arroz - plantado na terra, caído do céu como o maná do deserto e colhido da pedra - é símbolo de fertilidade e eterno amor. Esta é a minha bênção".
A cunhada encanta-se mas o irmão irrita-se profundamente com o presente.
.
Esse é o ponto de partida da história. O arroz, místico e sagrado, não estraga. Acompanha os dois na migração para o Brasil, o nascimento dos filhos, as gerações que vão se sucedendo... tudo num texto descontraído, de um humor inteligente e ensinamentos, saboroso como uma receita preparada com carinho, afinal:
"Família é prato difícil de preparar. São muitos ingredientes. "
(pag.11)
.
Mas Francisco Azevedo é exímio cozinheiro: a receita não desanda e ele não deixa o arroz queimar. E nos serve um prato delicioso, no ponto!
.
É uma história de uma família comum, parecidíssima com qualquer uma: a minha, a sua... Casamentos, nascimentos, brigas, separações, intrigas, festejos e mortes. Mas tudo com um tempero muito especial: o carinho do autor que escreve muito bem em prosa poética.
.
“…Tantas questões por responder. Afluentes de um só rio somos todos, acredito. Artérias de uma só veia que deságua no coração. Bela missão esta que nos foi dada: a de nos criarmos e recriarmos pacientemente a cada dia. Sem que o sangue jamais nos suba à cabeça, é o que peço. Família somos todos.”
.
E não poderia deixar de mencionar aqui: tomei conhecimento deste livro através do excelente Blog "O que elas estão lendo!?", da Georgia e da Flávia. Lá você sempre vai encontrar dicas e sugestões de leitura, através das resenhas postadas por quem já leu... confiram:
.


.

13 comentários:

Chica disse...

Que lindo modo de passar os feriados...E o livro, certamente, muito legal! Gostei dessa apresentação que fizeste dele. Beijos,tudo de bom,chica

LLacerda disse...

ai q otio q os blogueiros estao voltando. nao aguentava mais olhar pras paredes do meu blog, sozinha... também estou nesse projeto 12 em 12, mas um pouco atrasada pois resolvi ^lê dois livros de vez e nao consigo terminar nenhum Oo percebi que gosta de Lipector..eu tb...os livros que vou ler esse ano são quase todos dela.

E de fotografia também. eu amo..

Bom retorno!

Wania disse...

Dalva querida

Bom te ter de volta, mas com este teu carnaval, não dava vontade mais de voltar de lá...rsrssrs!

Amei este livro, quando vi a capa e quando abri as primeiras páginas já me encantei. É o tipo de prosa que me fescina. Dei dois de presente e comprei um para mim que ainda não tive tempo para ler (a poesia me rouba...rsrsrs), mas com esta tua provinha, me deu uma "fome", hummmmmmmmmmm!!!!

Bom retorno,
Bjão

Jr Vilanova disse...

Conseguiu despertar meu interesse, amiga!

Gosto muito de indicações. Adoro receber livros, achá-los, garimpá-los e logo após me encantar com suas riquezas!

Na minha próxima visita a livraria vou lembrar de procurar "Arroz de Palma"!

Beijo, Dalva.
Jr.

Mylla Galvão disse...

Dalva,

Tb adoro ler... E te indico um bom livro...

"A história de um anjo" - Roger Paranhos Bettini, é um livro ótimo...
É espírita, se vc não se importar...

Eu tb passei o Carnaval em casa, só na paz e sossego... mesmo pq os desfiles aconteciam na rua abaixo da minha...
Então quando queria, via tudo de camarote!!!

Mas coloquei o sono em dia e o amor tb!!!
bjão

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Dalvinha,

Essa e o paraíso é a mesma coisa... ameeeeeeeeeei!

Adoro demais!

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Janaina Amado disse...

Puxa, Dalva, que férias bem aproveitadas - uma rede e um livro! Estava com saudades.

lis disse...

Oi Dalva
Já estava com tanta saudade do seu blog,que bom que voltou!Bom também saber que ficou meio à natureza e pode relaxar e ler bastante, a gente sente falta longe desse monitor mas é preciso esquecer dele um pouco, vicia muito e rouba horas pra carammba!
Adorei sua volta, renovada .
Anotei o nome do livro, pela resenha parece muito bom mesmo, adoro essa linguagem poética.Mas a minha lista vai ficando grande rsrs
abraços, boas vindas

HSLO disse...

Que maravilha...ainda bem que aproveitou.


abraços

Hugo

Tempestade disse...

Adorei a indicação do livro, gosto de histórias assim! =)Anotada a dica!
Aliás, o blog das meninas é muito bom, já livros indicados por lá.
Beijos Tempestuosos e ótimo retorno!

Georgia disse...

Que inveeeeeeeeeeeeeeeja dessa rede, rs.

Dalva, já tivemos lá no O que elas estao lendo essa resenha e eu fiquei com água na boca e nos olhos querendo o livro.

Um bjao

Tucha disse...

Gostei da simplicidade da história e a celebração da vida em família. Vou tentar consegui-lo para ler.

Letícia Myrrha disse...

Acabei de lê-lo e manhã publico uma crônica sobre ele. Livro lindíssimo!! www.prisioneirosemliberdade.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...