quinta-feira, 30 de abril de 2009

Em estado de sonho

.
.
"Ela (não importa quem era) estava sentada, livro na mão,
olhando algum ponto fora da janela.
Entrei na sala para lhe dar um recado,
porque era sempre como se estivéssemos as duas vivas
- mas engoli antes do primeiro som,
inspirei as palavras de volta ao lugar de onde nasce tudo
o que digo a essa pessoa que mais amo.
.
Parecia ler, na postura inocente de uma mulher com um livro diante da janela.
Mas seu corpo estava alguns centímetros acima da poltrona,
seus pés longe do assoalho, uma sandália caíra no chão, a outra pendia da ponta do pé.
Não era o livro que olhava: lia uma página do seu texto interior que fala
de chama, vento, ilha, coisas muito mais reais do que uma sala, pessoas e carros.
Fazia isso como muitas mulheres certamente poderiam fazer,
mas se contêm para que outros, percebendo, não se perturbem.
.
Nunca pergunto a ninguém
se quando estou em meu estado de sonho pairo um pouquinho acima do chão.
Isso não me tornaria menos viva, nem menos real."
.
Lya Luft
in Rio do Meio
.

2 comentários:

Úrsula Avner disse...

Oi Dalva, já li este livro da Lya e amo tudo o que ela escreve , sou uma de suas maiores fãs. Linda postagem. Meu carinho.

Dalva disse...

Oi, Ursula!

Lya é o máximo, mesmo!


Um beijo carinhoso e bom feriado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...