terça-feira, 6 de outubro de 2009

De onde vem essa fúria?

.
.
Cenas como essa aí são muito comuns no trânsito de nossas cidades. Qualquer coisinha considerada inadequada vinda de outro motorista é motivo para esquentar os ânimos e fazer surgir um comportamento bem típico: buzinadas furiosas, gestos agressivos, palavrões e xingamentos.
E o sujeito que está por trás do volante agindo como se fosse um troglodita, pasmem: é um pacato cidadão, com um temperamento exemplar e moderado... quando não está dirigindo!!!
.
O que acontece, então??? A maioria dos motoristas só perde a compostura e se tornam verdadeiras feras quando estão atrás do volante? Será que a irritação causada por congestionamentos frequentes, aliada à pressa e ao stress da vida moderna justificam tal comportamento?
.
Segundo os estudiosos do comportamento humano, há outros fatores que contribuem para a agressividade no trânsito. Primeiramente, o fator "anonimato": o motorista que está ao volante tem a sensação de que jamais vai cruzar novamente com os outros que encontra nas ruas. Daí as noções e regras de relacionamento e convivência se enfraquecem. E o resultado disso é que as agressões verbais são praticadas com mais liberdade. Quer um exemplo disso? Lembra-se do tempo de escola, quando a professora apagava a luz para projetar um filme no auditório? O que a galera fazia??? Começava a gritaria, não é? No escuro seria difícil identificar quem estava fazendo barulho. O mesmo acontece com o motorista: o anonimato os protege das consequências negativas de suas infrações.

Outro fator relevante para a agressividade do motorista é a certeza da impunidade. Mundialmente falando, é relativamente seguro comportar-se mal no trânsito, pois embora seja regido por um estrito código de regras, as punições são raras quando se considera a enorme quantidade de infrações cometidas. Nas grandes cidades brasileiras, o motorista não é punido severamente quando burla as regras. Não existe, no Brasil, estatísticas sobre agressões no trânsito nem punições específicas para elas.

Um aspecto apresentado pelos estudiosos aponta para o fato de que a raiva dos motoristas não é um produto de desequilíbrio individual, mas tornou-se, nos grandes centros urbanos, um hábito social que provoca perdas e distúrbios para todos os envolvidos, gerando mais stress e atrito, além de um grande aumento no risco de acidentes.

Veja alguns depoimentos de pessoas que se surpreendem com seu próprio comportamento agressivo no trânsito, todos eles prestados à Revista Veja:

" Faço ioga, sou calma e, por isso, os amigos se surpreendem quando pegam carona comigo. No trânsito, fico irritada com as pessoas que anda devagar, param em fila dupla e cortam os outros carros. Outro dia, gritei com um motorista e só depois descobri que era um amigo meu. Que vergonha!" (Lilian Fugiy, paulista, economista)

"Na minha profissão a gente está sempre com pressa, por isso não costumo respeitar muito o sinal vermelho. Avanço com consciência. Quando fico irritado com a lerdeza, a distração e as fechadas dos outros motoristas, xingo mesmo. Sei que ninguém vai anotar minha placa só porque fui mal-educado. Desde que virei motoboy, há oito anos, passei a fazer teatro para relaxar. Como ator sou outra pessoa, calma e descontraída." (Cristiano Cardoso, carioca, motoboy)


O QUE MAIS IRRITA O MOTORISTA BRASILEIRO

Homens: Quando alguém atrapalha seu caminho: motoristas que param em sinal amarelo e dirigem devagar.

Mulheres: Comportamento imprudente e agressivo dos outros motoristas: fazer ultrapassagem perigosa, dar luz alta e colar na traseira.

Uffa! Quanto stress, hein? Não é isso que queremos para nossa cidade, seja ela qual for! Queremos que as pessoas tenham atitude de respeito, educação, tolerância e gentileza no trânsito. Tanto motoristas, quanto pedestres!

.

.

Fonte: Revista Veja - Thomaz Favaro

.




10 comentários:

Helena Arruda disse...

Nossa... me vi nesse espelho... rsrsrs

Bjs.

Laricia disse...

Que coisa doida, não é???
Será que junto com a carteira de motorista recebemos um kit de capa e espada?

Beijo!

Monica disse...

Adorei o desfecho... saudoso o nosso Profeta Gentileza!

Beijinho, Dalva.

Juliana Lira disse...

Dalva

Nesses dias tava falando com a minha irmã: calma pelo amor de Deus! Ela é muito esquentada no tânsito e como eu sou calma demais me estresso com ela e meu cunhado , que xingam, gritam , afff

Mas é isso aí queremos Gentileza, creio que o profeta da Gentileza ficaria cada vez mais desapontado com essa agressividade...

Milhões de beijos

Sabrina disse...

Dalva o bicho tá pegando mesmo,esses dias aqui na minha cidade um motorista seguiu um outro carro e deu um tiro no motorista(do carro perseguido...) por causa de desentendimento bobo...realmente as pessoas se transformam por trás de um volante...Bjss

Dalva disse...

Helena,

é legal reconhecer nossos erros e tentar melhorar.

Um beijo, querida!

Dalva disse...

Laricia,

hoje tá mais prá kit revolver e pistola, infelizmente!

Bjs.

Dalva disse...

Monica,

a gentileza é um santo remédio para essas situações.

Beijinho.

Dalva disse...

Juliana,

dá um toque sutil neles... muitas vezes eles têm dificuldade de reconhecer esse problema...

Bjs.

Dalva disse...

Sabrina,

infelizmente essa é uma das consequencias mais comuns. Hoje muitas pessoas andam armadas, e o stress é um estopim para que a violência se manifesta dessa forma tão brutal.

Bjs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...