segunda-feira, 9 de maio de 2011

Das coisas simples


O almante


O homem entrou na farmácia, dirigiu-se ao balcão e pediu :
- Quero um almante.

O farmacêutico gentilmente perguntou :
- Um almante ? O senhor quer dizer... um calmante?

- Não. Eu disse um almante mesmo.

- Pode me dizer o que o senhor está sentindo?

- Não sinto nada. Esse é o problema. Quero um remédio que me devolva a alma.

O farmacêutico exclamou :
- A alma?!

- É!

Então, o farmacêutico deu a volta ao balcão, aproximou-se do homem e deu-lhe um abraço de longos segundos.
Depois do abraço o homem olhou sorrindo para o farmacêutico e disse:
- Funcionou! Já me sinto melhor. Que remédio é esse ?

- O abraço. O abraço é uma transfusão de alma.

- Quanto custa ? - o homem perguntou ainda sorrindo.

- Um abraço não tem preço.

- Obrigado! O senhor tem uma alma boa.

Dilan Camargo


4 comentários:

Andréia B. Borba disse...

Minha nossa! Que coisa mais linda esse post! Fiquei completamente arrepiada...
Um grande abraço p/ vc minha querida!
Déia

Hugo de Oliveira disse...

O simples é o mais belo.

abraços

Tucha disse...

Simples e bonito. Um abraço afetuoso realmente conforta e revigora, especialemente em momentos onde as palavras não dizem mais nada.

Lis disse...

Simples assim não é ?
gosto dos abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...